Resultado da sua busca:


Com o lançamento do DVD e Blu-Ray de Maze Runner: Prova de Fogo, a Fox também lançou uma versão de DVD que vem os filmes Correr ou Morrer e Prova de Fogo juntos (clique aqui para saber dos detalhes e onde comprar)!

E para comemorar, a Fox Home Entertainment nos enviou um item dessa última versão! Os extras dos dois filmes estão incluídos nela também. Como fazer para concorrer? Leia TODAS as regras e preencha o formulário abaixo:

download

REGRAS:

  • Todas as opções estão em aberto, pois é apenas obrigatório seguir pelo menos UMA das nossas redes sociais. E marcar essa opção com o link da sua conta/perfil ou user no formulário! Ex: se não tiver facebook, nos siga pelo twitter, se não tiver twitter, curta a gente pelo facebook e por aí vai.
  • Ser morador ou ter uma residência no Brasil.
  • Não usar contas fakes, com risco de desclassificação.
  • Preencher apenas o que você fez, com risco de desclassificação.
  • Não é obrigatório fazer todas as alternativas.
  • O vencedor deverá responder em até 48h ou será desclassificado.

Leram tudo? Então é só preencher o formulário abaixo! Quanto mais opções você seguir, mais chances tem de ganhar! Se você já segue todas as nossas redes fica mais fácil ainda. Mas ainda vai valer a sorte em primeiro lugar 😉

a Rafflecopter giveaway

Confiram também a análise feita pela nossa equipe:

O resultado será divulgado dia 20 de fevereiro em nossas redes sociais e o prêmio tem prazo de 30 dias para chegar! Certifique-se de fazer tudo certo. Boa sorte a todos!




Kaya recentemente concedeu uma entrevista para a revista russa Fashion Time onde ela fala sobre sua carreira, Maze Runner e seus novos filmes “Tiger House” e “The Moon and the Sun”. Confiram algumas partes traduzidas pela equipe do Kaya Scodelario Brasil:

Sobre o roteiro:

Ação constante, talvez este seja o sentimento correto. Tanta coisa acontece. E eu sabia que tudo seria muito difícil para nós, fisicamente, e isso meio que incomodou. Eu pensei que haveria pelo menos algum romance, mas não tem, e isso é ótimo. Tudo aconteceu um pouco errado, como sempre, e eu me apaixonei por este filme – adoro quando quebram o padrão. Eu também tinha a certeza que tudo seria divertido, temos um elenco tão amigável, e todo mundo trouxe algo da sua própria personalidade para o filme. Foi algo realmente algo incrível.

Sobre o dia mais difícil das filmagens:

Tem uma a hora do dia, chamada “a hora mágica”, cerca de uma hora antes do pôr do sol. Nós queríamos fazer a maior parte da cena em que verdugos invadem a clareira, sob essa luz. E em algum lugar na semana estávamos filmando nesta hora mágica todas as noites. Todos os dias a mesma coisa. Ao final de tudo, nós estávamos esgotados, gritando como loucos, correndo em volta da clareira, e tendo que manter o nível de medo dos personagens. Nós estávamos tipo: “Senhor, é novamente a hora mágica. Não aguento mais! “Era legal no começo, é compreensível que eles queriam filmar sob essa luz, mas era muito cansativo.

Sobre o dia mais engraçado das filmagens:

O dia mais engraçado foi o último dia de filmagem. Na última cena, quando fomos para o laboratório. Nós finalmente estávamos em um lugar, em outro lugar, e não na clareira. Quando eu vi computadores e vidros …. pareceu-nos que estamos todos em algum outro mundo. E a reação de todos foi como se nós começamos a filmar outro filme. Usamos roupas brancas e limpas e me senti bem. E, é claro, tinha a Patrícia Clarke, que é maravilhosa e muito divertida. Pareceu que estávamos em outro filme. A cena em que eu jogava pedras nos garotos foi uma das primeiras que filmei. E foi muito engraçado, porque eu tive que me esconder por muito tempo na árvore. Fiquei ali durante todo o dia de debaixo do sol, jogando no celular, observando todos. Ao mesmo tempo, eu estava com medo, porque era uma árvore real que estava plantada na clareira, e ela se movia muito por causa do vento. Foi um tanto assustador e divertido. E o tempo todo eu estava mirando na cabeça do Thomas, ela era o meu alvo.

Sobre a reação dos fãs com o filme:

Muito interessante. Eles são tão maravilhosos, realmente prontos para fazer qualquer coisa por nós. Eu acho que este mundo (literário) dos jovens adultos é muito belo, eles  têm prazer em se juntar e  discutir os livros, e depois irem todos juntos ao cinema. Eu pensei que este tempo já havia passado. Mas, na verdade, não passou, para eles, é realmente muito importante. Isso é algo que eles podem experimentar com os amigos mais próximos. É muito legal, e faz você se  lembrar dos seus amigos.

Sobre o elenco:

Will, em geral, é uma das pessoas mais engraçadas com quem eu já tive de lidar. E, ao mesmo tempo, a mais carinhosa e humilde. Ele é um cavalheiro no coração. Não importa o quão exaustos nós estávamos, ele sempre tentava fazer algo estúpido, engraçado, incomum. Ele ficava encenando para nós, tentando parodiar alguém da Louisiana ou alguém que viveu com a gente no hotel. Havia um cara engraçado, Tom, de Nova York, ele estava morando com a gente no hotel e ele tinha um sotaque de Nova York insuportável e um grande charuto. E Will parodiava ele fazendo com que tivéssemos cólicas de tanto rir. Dexter, por exemplo, é um ótimo dançarino, e ele estava constantemente dançando breakdance e tentava nos ensinar alguns movimentos. Cada um trouxe algo para o nosso grupo para animar os espíritos, até mesmo o Wes. Ele sempre tinha muita energia.

Sobre Wes Ball:

Desde o início percebi que ele tinha algo especial. Inteligência, e ao mesmo tempo as qualidades humanas positivas – nem sempre esses dois componentes estão juntos. Ele, ao mesmo tempo, sabe como falar com você, como ator e como pessoa – como lidar com as emoções e os sentimentos. Ele vinha e conversava com a gente nos fins de semana. Sentia que ele era meu amigo – por um lado, mas nós entendemos que ele estava 100% absorvido pelo projeto. Eu tenho trabalhado com muitos jovens diretores. E eu realmente gosto, mas fico constantemente preocupada: “E se ele não saber o que fazer? E se ele superestima a si mesmo? “. E nós temos tantas coisas acontecendo ao mesmo tempo, mas Wes é sempre completamente calmo – Nunca o ouvi levantar a voz ou perder a paciência. Ele está sempre lá quando você precisar.

Sobre ter lido os livros:

Eu nunca gosto de ler os livros antes de filmar. Eu leio durante. Mas eu li metade de ‘Prova de Fogo’  eachei tão emocionante, todo mundo lá recebe uma nova direção. Há uma cena maravilhosa, que eu espero que esteja no filme, onde eles estão em um bar e tem dança, e isso me lembra do filme “Total Recall” – você com esses malucos, com medo…. você está com medo, mas você continua dançando. Esperemos em breve chegar à terceira parte. 

Sobre os fãs de Maze Runner:

Eu espero que eles estejam orgulhosos de nós. Durante todo o processo de filmagens, estávamos constantemente pensando neles e tentando arduamente manter a essência do livro. Eles são como nós, e gostaríamos que eles se sintam envolvidos, tanto quanto possível, e espero que tudo satisfaça as suas expectativas.

Para ler a entrevista completa e traduzida acesse Kaya Scodelario Brasil!




Em comemoração ao lançamento do DVD/Bu-ray essa semana, ontem aconteceu um mutirão com os fãs. Todos que já tinham o filme assistiram ele ao mesmo tempo e comentaram pelo twitter. James participou também e as melhores partes estão traduzidas abaixo:

  • Este filme não poderia começar mais parecido com o livro. Obrigado Wes Ball!!!
  • As pessoas sempre perguntam sobre o porco. Suprimentos são enviados para cima na Caixa. Por que não um porco?
  • Eu absolutamente amo essa cena de Gally pulando para dentro da Caixa.
  • Vocês notaram Caçarola dizer: “Eu poderia ter uma ajuda na cozinha.” Amei isso.
  • Essa girada pela Clareira e os créditos metálicos me dão arrepios. E o olhar no rosto de Thomas.
  • Oh, Alby. Oh, Aml Ameen. Poderíamos ter encontrado um Alby melhor??? Não vou ficar falando de cada um do elenco. Eles são TODOS maravilhosos.
  • Um dos melhores dias da minha vida foi andar por aí na Clareira pela primeira vez com Wes Ball.
  • A casa da árvore. Eu amo a casa da árvore. Exemplo perfeito de pegar o espírito do livro e adicionar um visual.
  • GALLY!!!!!!! Reparem que no filme ele nunca diz algo que você pode realmente discordar.
  • “Bem-vindo à Clareira”. Outro exemplo de Wes permanecer fiel ao espírito do livro. Melhor momento para essa frase.
  • Uma boa parte da ordem e do tempo entre livro e filme é diferente. Mas está tudo lá. Como essa cena com Newt.
  • Verdugos!!!!! Gostaria de saber o que as pessoas que não leram o livro pensaram dessa primeira menção.
  • As coisas em um filme devem ser mais VISUAIS. Essa forma de Thomas lembrar o nome é muito mais poderoso que no livro. Essa cena foi quando eu realmente me apaixonei por Dylan O’Brien.
  • Estas sequências de sonhos/memórias tomam lugar da telepatia, e tem um monte de dicas dos livros!
  • Novamente, algo que não é diretamente dos livros, mas manifesta a fraternidade. A parede com os nomes.
  • Nunca entendi as pessoas que dizem para apenas subir na hera. Como isso ajuda? Só coloca você dentro do labirinto. E nos livros, há uma razão diferente do porquê não funciona. Você não pode escapar escalando a hera!
  • As expressões faciais de Dylan nesta cena Ben são tão incríveis. Nunca mexa com Newt quando ele está segurando um bastão longo.
  • O banimento de Ben. A música. A cinematografia. A atuação. Uma das minhas cenas de filmes favoritas de todos os tempos.
  • Posso dizer aqui que mal posso acreditar que fizeram um filme baseado num livro que eu escrevi. E acertaram em cheio também! Surreal.
  • Wes deixou uma dica para vocês. Nesses sonhos/memórias, Teresa está conversando com Thomas em sua mente! Vocês perceberam isso?
  • A faixa favorita da minha filha da trilha sonora é esta cena da chuva.
  • Esta é uma cena que Wes me prometeu desde o primeiro dia. Sei que todos os meus leitores anteciparam os próximos dez minutos. (As cenas no Labirinto)
  • Mesmo aqui, Gally está sendo o mais razoável. Minho deveria ter deixado. É duro, mas é verdade.
  • O trailer já tinha mostrado a parte do Thomas atravessando as portas, mas acho que ainda deixou os espectadores sem fôlego.
  • Amo como Ki Hong Lee transforma Minho em um personagem tão complexo nesta parte. Ele é um covarde? Ou inteligente?
  • Outra cena que mostra o quanto Wes se preocupava com o livro. Uma versão rápida de Alby nas heras.
  • Esses Verdugos com um orçamento tão modesto. Incrível. Aliens é um dos meus filmes favoritos de todos os tempos. Essa cena me faz sentir como Aliens novamente.
  • Todo o esmagando o Verdugo/chave/código foi uma excelente maneira de encurtar a solução para o Labirinto do livro.
  • Eu amo quando Chuck tenta obter um coro “Thomas!”. Clássico.
  • Observe como Wes captura tudo do livro sem nos deixar entediados com uma literal, fala por fala, interpretação.
  • Sério, o conceito todo de “código” é tão grande. Nós só tínhamos 2 horas pro filme, e desse jeito funciona perfeitamente.
  • Gally, a voz da razão, não importa o quanto você talvez o odeie.
  • Outro grande exemplo de transformar um livro numa experiência cinematográfica: uma maquete de Labirinto e não os mapas de papel.
  • Em 30 segundos conseguimos a mesma coisa que em vários capítulos do livro: o código do final.
  • Eu amo quando Gally é atingido na cabeça!
  • Estou tão feliz que Teresa parece uma pessoa normal, em vez de uma princesa com maquiagem pesada e cabelo perfeito.
  • Esta cena na Casa da Árvore acontece para compensar a ausência de telepatia. Muito melhor para a tela grande.
  • CRUEL é bom. Uma declaração tão obviamente incongruente que provoca dúvidas quanto à sua origem ou finalidade.
  • Mais uma vez. O soro. De uma forma mais simplificada, facilmente explicável pro filme.
  • Apenas espere até ver os Cranks no próximo filme.
  • Isso foi muito importante para mim do livro. Chuck mencionar seus pais. E a promessa de Thomas para ele. Para mim, essa cena ganha a reação no final.
  • O labirinto é muito mais legal no filme. Deve ser. É uma releitura visual! Pense em quão chato se tudo parecesse o mesmo.
  • Para todos vocês tristes porque não há um “Penhasco”, bem, este lugar é um penhasco em ambos os lados. Wes fez isso de propósito.
  • Uma das primeiras coisas que Wes disse foi que ele tinha que mostrar as paredes do labirinto mudando em cena, ao contrário do livro.
  • Você pode acreditar que eles fizeram este filme com um orçamento 34 milhões de dólares?!?!
  • Esse confronto entre Thomas e Gally é tão ótimo.
  • Realmente tente apreciar a música e os sons durante esta cena do ataque dos Verdugos.
  • Eu estava parado lá quando eles filmaram a cena da gaiola!
  • Percebam: A reação insana de Alby quando ele vê o ferrão. Ele sabe o que faz. Ele salva Chuck.
  • Thomas se pica, assim como o livro, de uma forma um pouco diferente. Tantos exemplos disso. Melhor para o filme.
  • “Fizemos isso para eles. Para nós.” – tirado do livro. Apresentado um pouco diferente, mas é verdade.
  • Newt é definitivamente O Grude. Ele é como Sam de O Senhor dos Anéis ali mesmo! Diferente do livro, mas isso realmente traz o conflito da decisão que vem em seguida.
  • Eu amo as expressões de Dylan enquanto ele segura a lança em direção ao Gally.
  • Como você pode não sentir pena de Gally neste momento? Will Poulter você arrasa!!!
  • Mais uma vez, perceba o quão importante o “Penhasco” é durante esta cena. Homenagem ao livro.
  • Observe que os Clareanos sabem que não podem realmente matar os Verdugos. Eles estão apenas tentando ganhar tempo.
  • Foi muito ruim que Jacob Latimore fosse tão altruísta nessa cena. Sentimos falta dele.
  • Wes Ball queria um bom e velho filme de ação a moda antiga. Ele foi bem sucedido.
  • Eu estava lá em odas estas últimas cenas. Tão divertido ver, o tempo todo.
  • Somos tão incrivelmente sortudos que este filme trabalhou tão duro para manter-se fiel aos livros. Muito raro, pessoal.
  • O discurso de Ava Paige: os cineastas tiveram que manter em mente aqueles que não tinham lido os livros também. Linha dura.
  • A expressão de Dylan quando eles o arrastam pela primeira vez ao sol é algo que eu nunca vou superar. Tão poderoso.
  • Ava Paige não é má. Ela está tentando salvar a raça humana. Como podemos realmente argumentar contra isso?
  • A música durante estes créditos me faz chorar.

Tradução: Equipe The Maze Runner Brasil | Se pegar, por favor dê os devidos créditos.




Não só o elenco do primeiro filme como o James Dashner, autor dos livros de Maze Runner, está dando bastante entrevistas agora que o Blu-ray/DVD do primeiro filme está sendo lançado. Nessa entrevista para o site Teen, James falou algumas coisas que todo fã queria saber: Sobre mais livros!

 

Sobre a reação de The Maze Runner virar filme: “Eu sempre fui um grande cinéfilo. Eu amo filmes, esse era provavelmente o meu maior sonho quando eu comecei a ser um autor. Isso foi surreal, me deixou sem palavras.”

Sobre a energia no set de Prova de Fogo: “Eu estive lá a algumas semanas atrás pela primeira vez. Eu simplesmente amei! É uma sensação diferente de Correr ou Morrer, e é exatamente como deveria ser, porque no livro tem essa diferença de sensação. Foi muito divertido ver todo mundo de volta em ação e conhecer algumas das novas pessoas […] A energia é extremamente alta. Eu acho que há um maior nível de confiança, agora que sabemos que o primeiro foi tão bem recebido, mas também um pouco mais pressão já que as expectativas serão ainda maiores para o segundo filme. Definitivamente muita energia, da pra definitivamente sentir a agitação.”

Sobre Dylan O’Brien (Thomas): “Ele é um grande bobão, o maior que eu já conheci, mas ele é genuinamente pé no chão e legal. Todo vez que eu o vejo, ele me puxa pra me dar um abraço de urso e me agradecer pela oportunidade. E ele se importa muito com sua família; a mãe e o pai dele estão sempre por perto, e ele é realmente um bom rapaz.”

Sobre Ki Hong Lee (Minho) ser nomeado pela revista People um dos Homens Mais Sexys  do Mundo: “Estamos todos muito orgulhosos dele. Ele é um homem sexy, então ele mereceu. Ele também é incrivelmente humilde, um tipo de coisa engraçada. Quando eu o conheci, ele tinha me escrito uma carta a mão apenas pra me agradecer por ter incluído um grande personagem asiático no meu livro e no filme. Ele é realmente amável, um cara maravilhoso, eu estou feliz por ele ter conseguido todo esse reconhecimento.”

Sobre a edição do filme A Cura Mortal: “Eu tenho certeza [que a divisão do livro em dois filmes] não é a direção que estamos caminhando. O Wes Ball (Diretor), eu mesmo e um monte de outras pessoas sentimos fortemente que a série de livros ficou muito solida como trilogia, e faz sentido fazer isso para os filmes. Até onde eu sei, faremos com que A Cura Mortal seja apenas um filme […] Crepúsculo sendo um grande filme assim como Harry Potter, as vezes faz sentido. É uma maneira de dar aos fãs ainda mais do que eles querem, mas para a nossa série, eu acho que é melhor ficar com um filme  apenas.”

Sobre The Fever Code: “Desde o começo, quando eu vendi Maze Runner para a Random House (editora), eu disse que queria fazer um prequel algum dia e acabamos fazendo, mas não era o prequel que eu tinha planejado. Nós decidimos voltar ainda mais no tempo e escrever Ordem de Extermínio, mas o meu plano era escrever um livro sobre Thomas, Teresa, Minho, Newt e todo mundo levando até o início do Correr ou Morrer, e decidimos finalmente fazer isso, de modo que é o que o The Fever Code será. É mais do que eu tinha originalmente imaginado na minha cabeça, então eu acho que as pessoas vão gostar.”

“Eu acho que vai ser muito divertido pros leitores. Eu recebi bastante críticas dos meus leitores sobre as mortes. É uma espécie de historia sombria, temos muitas mortes. Essa é quase uma maneira de ressuscitar, já que é um prequel de antes de Maze Runner, então todos os personagens vão estar lá, todos eles estarão vivos. Essa vai ser uma historia bem, bem, bem interessante pra ver os bastidores e algo que está sutilmente insinuada nos livros chamados “A Purgação“. Isso aconteceu antes de Maze Runner, e nós iremos ver isso em toda sua glória”

Sobre a possibilidade de outros prequels/spin-offs: “Eu nunca digo nunca. Pra agora, The Fever Code é o meu foco, e eu acho que vai haver uma grande pausa depois. Realmente não tem muita historia depois de A Cura Mortal. A única possibilidade seria o ponto de vista alternativo ou algo assim, mas não pra agora.”

 

Blu-Ray e o DVD de Maze Runner: Correr ou Morrer chegam as lojas em 14 de Janeiro de 2015!

Fonte [1] [2]




Com o lançamento da versão HD Digital do filme, várias pessoas já tiveram acesso ao conteúdo extra que vem no Blu-ray. E uma delas inclusive divulgou alguns pequenos vídeos com os erros de gravações (super hilários). Confiram abaixo:

[ATUALIZAÇÃO] Uma fã postou o vídeo completo, confira abaixo:




Wes Ball, Diretor do primeiro e do segundo filme, deu uma entrevista para o site MTV dizendo os motivos para as 9 principais mudanças na historia de Maze Runner: Correr ou Morrer.
Essa entrevista é de divulgação do Blu-ray do filme, então ele cita em vários momentos cenas que foram deletadas e que estarão no blu-ray.

Terá spoiler da trilogia, se você não leu pare por aqui.

 

1. A Telepatia do Thomas com a Teresa

Provavelmente uma das maiores mudanças do livro pro filme foi a telepatia do Thomas (Dylan O’Brien) com a Teresa (Kaya Scodelario). No livro, os dois rapidamente descobrem que eles podem conversar pela mente, mesmo quando outras pessoas estão por perto. Isso é realmente uma coisa que fica cada vez mais forte nos dois próximos capítulos (livros) da série, então para os fãs isso foi particularmente surpreendente ver essa perda.
Para Ball, a telepatia não iria funcionar bem em um filme.

“Bem, eu simplesmente não conseguia descobrir como tirar isso do filme” disse Ball “A única coisa que eu poderia fazer era que esses dois personagens ficassem se olhando com vozes saindo por fora da cena, mas isso não iria funcionar”

Citando “O Senhor dos Anéis” como o único filme a fazer conexão psíquica funcionar nas telas, Ball decidiu em vez de fazer elementos sobrenaturais, trabalhar mais os personagens.

“Eu senti como se a coisa mais importante que tinha nesses misteriosos personagens, era que tinha uma conexão entre eles” Ball continuou “Isso foi uma coisa importante a se continuar. Nós tentamos visualmente em vez de apenas através do som”

2. Sobre a Teresa

De fato, além do básico do personagem, que é praticamente o mesmo, muito sobre a história de Teresa foi mudado no filme, na sua linha de tempo em geral, de não, você sabe, ficar inconsciente uma boa parte do filme. Isso, assim como a remoção da telepatia, foi intencionalmente.

“A maior coisa que nos guiou a fazer as mudanças que nos fizemos foi o ritmo (do filme), e o sendo se realismo” disse Ball “A única coisa que fizemos foi fazer isso ficar acreditável. Mesmo com esse mundo próprio, tornando-o um pouco mais parecido com a Terra, depois fazendo ele ficar tão diferente que é difícil acreditar.

“Com Teresa, a complicação é que nós temos seis ou sete personagens principais, então você sabe,  dar a todos o seu devido tempo foi um verdadeiro desafio, mas não tinha como que nós deixássemos a Teresa aparecer apenas dormindo na cabana pela metade do filme. Era mais fácil para suprimir isso um pouco, e sua chegada ser um gatilho para certas coisas… E em seguida leva-la mais rápido para a história. 

“Ao mesmo tempo nós sabíamos que estávamos para fazer o segundo filme, e fomos introduzindo esses personagens para que concretizássemos ainda mais no próximo filme. O desafio era dar o bastante para os personagens,de modo que você ficava intrigado com eles e queria saber mais, mesmo que não pudéssemos ir apenas para tudo”

3. Vergudos

Nos livros, os assustadores Verdugos que ficavam no Labirinto foram descritos como lesmas misturadas com carne, cabelo e máquina. Enquanto no filme igualmente assustador, os Verdugos são mais parecidos com aranhas com partes mecânicas, órgãos carnudos e brutos.
Nesse caso, isso foi a melhor forma de fazer o visual ser melhor aproveitado na tela.

“A melhor forma que eu consegui interpretar o que o James tinha descrito era um tipo de lagarta, e eu pensei que isso não seria assustador o suficiente para um filme,” disse Ball.

Em vez disso, a equipe de produção olhou como um “universo medonho de aranhas e insetos em geral”

“Eu ainda levo tipos de sugestões, onde se você olhar para o design no Blu-ray você verá fotos muito claras disso. O corpo é muito parecido com o de uma lesma, com um tipo de massa muscular… E então eles inseriram essas máquinas que permitem eles a se mover.”

4. Sobre os cargos da Clareira

O primeiro terço do livro do James (aproximadamente) é todo sobre o Thomas se acostumar com sua nova casa na Clareira, experimentar diferentes cargos antes de acabar com um corredor. O filme faz uma menção aos diferentes cargos disponíveis, mas não gasta muito desse tempo se aproximando do dia-a-dia na Clareira, isso para que Thomas se torne um corredor o mais rápido possível.
Para essa mudança, era tudo questão de ritmo

“As coisas tem que acabar em menos de 15 minutos, ou então o público ficará inquieto” disse Ball “Caso contrário teríamos um filme de três horas que não iria funcionar. Há sempre pequenas menções para essas coisas (aos diferentes trabalhos). Tem uma cena em que o Thomas está trabalhando no campo… Tem algumas menções pequenas aos outros trabalhos. Depois tem a cena de quando Thomas vai explorar e encontra Vince; Esses pequenos elementos estão lá, mas nós não demos um destaque sobre eles”

5. Buraco dos Verdugos

Para algumas pessoas do fandom de Maze Runner, um dos aspectos mais importantes do livro é o Buraco dos Verdugos, o local invisível fora do labirinto para onde os verdugos vão durante o dia. Isso é uma parte importante para desvendar o labirinto, e no filme é abordado de uma forma totalmente diferente. Há um buraco, só não é invisível e do lado de fora de um penhasco.

“Sinceramente, essa foi uma das partes acreditáveis (isso foi citado no  2. Sobre a Teresa),” disse Balls sobre a mudança “Eu tive um momento dificil sobre essa dideia de um buraco invisível, especialmente quando se é num penhasco

“No livro eles encontram o precipício muito rápido. Oh, isso é interessante, isso é diferente. Você meio que sabia pra onde isso ia. O buraco invisível era demais pra mim. E em segundo lugar, eu realmente queria que o Thomas encontrasse o caminho dele lutando contra seu maior medo, os Verdugos.

“Eu queria que o Verdugo fosse capaz de fazer algo. Na verdade matar um Verdugo foi um passo necessário a busca de uma saída. Isso foi mais semelhando no conceito do que no visual, mas sentimos que essa era a escolha certa a fazer”

6. Números

Do mesmo modo, a solução do Labirinto é drasticamente diferente, das palavras no livro para os números  do filme. Esse é um aspecto que Ball não via muito diferente.

“O conceito é muito similar” disse Ball “Escondido no próprio Labirinto está o caminho para sua saída, enquanto que no livro, a ideia de que o labirinto é tão grande que ele escondeu partes do próprio labirinto. Você realmente tem que mapear o Labirinto, a fim de encontrar essas pistas, o que é algo que nós temos com o Minho.

“Ele é realmente capaz de mapear o Labirinto e encontrar os números, e ele é capaz de fazer tudo isso fazer sentido. Realmente, nós tentamos fazer experiências com a forma de ideia já mostrada, e não foi visualmente emocionante para nós”

7. Onde no mundo está o Labirinto?

Nós vamos voltar um pouco para os spoilers agora. Nos livros o Labirinto é em um lugar bem diferente do deserto que vemos no final do filme. Isso muda em muitos aspectos do Labirinto,  que Ball estava feliz em mexer.

“Primeiramente, no livro tem um céu falso sobre eles – e nós experimentamos isso, mas visualmente isso parecia absolutamente ridículo”  disse Ball “Diferente disso, no livro eles são pegos por um tipo de caminhão ou van, ou alguma coisa do tipo. Durante todo o filme eu queria que a perspectiva do labirinto ser tipo… você nunca cortar para algo muito longe disso (nunca ir pra cima do labirinto, sempre rasteiro). Você nunca ve isso como o ponto de vista de Deus, era isso que deixava o mistério vivo.

“Você precisava entender o tamanho e a amplitude do Labirinto no final, dai o porque da escolha do helicóptero, só ai você poderia realmente ver a coisa toda pela primeira vez. Visualmente isso é muito mais emocionante, eu acho, e isso significa cortar fora toda essa coisa do céu que tem no livro… Mas é ai que falamos que ia ter um pouco de Sci-Fi. Se eles (Clareanos) não pudessem ver o tempo real do mundo, eles simplesmente não conseguiriam entender”

8. O Destino do Gally

Gally (Will Poulter) teve um final muito, muito, muito diferente do livro, controlado mentalmente pelo CRUEL para matar Chuck, e depois apanhado do Thomas. No filme ele é atingido diretamente no intestino por um dardo, e aparentemente morrendo. Parece também adicionar uma finalidade para outros elementos que aparecerão mais tarde na série. Não é bem assim, diz Ball

“Queríamos algo afiado e rápido, porque não havia nenhuma maneira de lidar com a morte e depois com o destino do Gally,”  disse Ball “Ele precisava apenas de alguma coisa  para criar o climax onde iria acabar com tudo. Isso foi apenas uma coisa pra dar um ‘Up’, sem uma finalidade na historia. Nós fizemos um pouco mais simples… Eu não vou dizer nada (sobre o que acontece depois). Nós tivemos certeza de que do jeito que tiramos ele, ele continuaria tendo uma chance. [Risos]”

9. Porque mudar as coisas?

No caso não é obvio agora, a equipe e Ball mudaram inúmeros aspectos do livro por razões acreditáveis… Mas quando você está se desafiando com um Labirinto enorme construído para testar adolescentes em um mundo pós-apocalíptico, porque mudar alguma coisa? Qual a linha entre O que faz sentido e O que não faz?

“É uma linha muito dura honestamente porque não há esse argumento óbvio, onde, por que construir esse labirinto gigante, apenas para testar essas crianças?” perguntou Ball retoricamente “Nós temos nossas próprias explicações para a nossa própria coisa que vai aparecer nos futuros filmes. Mesmo que o Labirinto consiga se projetar, não tem hologramas loucos, você sabe que não é 400 pés de altura, talvez seja 150 pés de altura.

“Só estou tentando reduzir o tamanho em algo que ainda seja épico e impressionante, mas não é algo que é tão rebuscado. Também aquela sensação de que o labirinto não foi sempre um labirinto. Isso pode ter sido outra coisa quando o mundo desabou, e isso foi reaproveitado para este labirinto. “

 

O DVD e o Blu-ray de Maze Runner: Correr ou Morrer chega ás lojas dia 14 de Janeiro de 2015.

Fonte [1]




O DVD do filme será lançado dia 16 de dezembro nos EUA e por aqui dia 14 de janeiro de 2015. Mas já podemos matar a curiosidade do conteúdo que vem nele vendo algumas cenas que não estavam na versão final do filme. Confiram algumas abaixo:

[ESSE POST IRÁ SER ATUALIZADO]

“Esse foi um dos tristes cortes que fizemos para manter o desdobramento da história” – Wes Ball

“Essa é uma pequena cena que mantivemos por bastante tempo, nós cortamos direto à isso, na verdade, logo depois de abrirem a porta. Eu ia trazer Teresa mais essa vez, mostrando essa tentativa de amor. Essa coisa de amor, romance, pareceu errada no filme porque não tínhamos o suficiente para dar suporte. Mas era só um “adeus” antes de saírem pra correr. Está meio que sugerindo que Alby ainda está em suas mentes, que ela está cuidando dele, vendo o que vai acontecer. Um pouco de compartilhamento entre eles. Está definitivamente mostrando essa conexão entre eles, eu acho divertido. Eu adoro esse olhar da Kaya, é ótimo. Mas sim, não era necessário.” – Wes Ball

“Ok, esse é um grande tipo de cena de mudança de edição. É sobre o conceito do que o Labirinto está fazendo de verdade e como está essencialmente indo para um estado final. É o conceito de que o Labirinto está mostrando um caminho, fechando e mostrando essa ideia de quase uma saída. Esses efeitos nunca foram terminados e muitas cenas foram cortadas muito cedo porque elas meio que gritavam “hey, me corte do filme”. Mas essa é uma ideia que poderia ter funcionado com um pouco de trabalho mas a abandonamos cedo e nunca a vimos de novo, na verdade. Mas a ideia de que vemos esse Labirinto mudando para essa forma, e tem a Clareira na ponta mais distante e então atrás deles podemos ver essa ideia do número 7. Então, essencialmente, é como se eles quase desdobrassem o tapete vermelho, encontraram uma saída, mas eles olham pra trás e veem que os Verdugos estão vindo, que muitos Verdugos estão vindo para esse novo caminho aberto, então eles entendem que é uma má ideia. Você tem que filmar essas coisas para cortá-las.” – Wes Ball

“Essa era uma cena tentando esclarecer mais a ameaça de “Alby e Minho vão voltar?”, se aprofundando mais nisso; não sentimos isso sem a cena, então a fizemos. Chuck, Caçarola… Essa comida era pra ser nojenta, não era pra ser com vegetais limpos, mas era tudo o que tínhamos; era pra ser a coisa mais nojenta de olhar, a fila pra comida, principalmente, porque o Caçarola é basicamente o cozinheiro para o grupo todo, e de novo, está trazendo a ideia que “eles estão atrasados, estão atrasados, estão atrasados! Meu Deus!”. E aí começa a chover, mas eu acho que é óbvio porque não funcionou, então fizemos a outra cena. Entretanto, eu gosto dessa cena, gosto dessa transição, é bem legal. E então a cena continua. De novo, outro dos casos que nós tentamos; você precisa filmar algumas dessas coisas para cortá-las, mas fizemos a coisa certa, cortando-a. Infelizmente, é um dos momentos que você deseja que o elenco pudesse ter, mas para a segurança do filme, é a coisa certa a fazer.” – Wes Ball




O primeiro vídeo mostra, com imagens incríveis misturando o real com o resultado final, como foram gravadas as cenas no Labirinto e na Clareira. Algumas são até de chocar com o trabalho tão bem feito! No segundo, que não está legendado, está mais voltado pros comentários da equipe de efeitos e de como foi feito os Verdugos. Nos outros mostram animações de como eles imaginaram antes de gravar. E no último mostra a construção do Labirinto. Confiram:



Fonte: Method Studios




O DVD e Blu-Ray de Maze Runner irá ser lançado dia 16 de dezembro nos EUA pela Amazon! Abaixo as informações dele:

thumb_BtWYX3DCUAAOxsa thumb_BtV-W9nCEAAASOI thumb_BtV-W9nCEAAASOI

O Blu-ray de Maze Runner chega com um pacote combo de dois discos, que inclui duas horas de bônus. Os fãs podem mergulhar no mundo dos bastidores dos Clareanos antes da chegada de Thomas, com a edição limitada de vinte e quatro página do livro prequel em quadrinhos escrito pelo diretor Wes Ball e co-roteirista T.S. Nowlin. Os fãs também vão receber uma oferta limitada de tempo para o jogo de celular e com um corredor bônus “Newt”, além de moeda livre no jogo.

  • Prequel de 24 páginas Comic Book
  • Cenas Excluídas com comentários de Wes Ball
  • Navegando O Labirinto: A Criação de The Maze Runner (Um documentário em cinco partes, que inclui: O Labirinto Nasce, Criação do Mundo, Encontrar o Elenco, O filme por dentro do labirinto, e os detalhes digitais)
  • Os “Diários de Chuck”
  • Erros de gravação
  • Efeitos Visuais
  • Ruin – Curta-Metragem de Wes Ball em 2D e 3D com comentário de Wes Ball
  • Comentário de áudio por Wes Ball e T.S. Nowlin
  • Galeria

E não pessoal, essa Comic não é aquela do Alby e sim uma totalmente nova exclusiva pro Blu-ray!

[ATUALIZAÇÃO] O site Cine Marcado postou uma foto onde mostra a data de lançamento no Brasil. Será no dia 14 de janeiro de 2015! Assim que saírem mais links para comprar na pré-venda, iremos atualizar esse post:

  • DVD:
  1. Livraria da Folha – R$ 39,90
  2. Saraiva – R$ 39,99
  3. Livraria Cultura – R$ 39,90
  4. Ponto Frio – R$ 39,90
  5. Extra – R$ 39,90
  6. FNAC – R$ 39,90
  7. Casas Bahia – R$ 39,90
  • BLU-RAY:
  1. Saraiva – R$ 69,90
  2. Livraria Cultura – R$ 71,90
  3. Ponto Frio – R$ 69,90
  4. Extra – R$ 69,90
  5. FNAC – R$ 69,90
  6. Casas Bahia – R$ 69,90

De acordo com o site, o bônus que virá na edição nacional do DVD será “Cenas Excluídas; Comentário em Áudio; Galerias; Trailer do Cinema”. A edição nacional do Blu-ray deverá vir com o mesmo conteúdo + os extras listados em cima.

Fonte: ComingSoon




Enquanto divulgavam o filme em Londres, Kaya Scodelario (Teresa) e Thomas Sangster (Newt) foram a emissora de rádio BBC Radio 1 e foram desafiados pelo DJ e ator Devin Griffin a ensiná-lo como atuar. Confiram os vídeos legendados pela nossa equipe:




Esta semana Shanee Edwards do site SheKnows teve a oportunidade de entrevistar Kaya Scodelario (Teresa), Thomas Sangster (Newt), Ki Hong Lee (Minho) e Dylan O’Brien (Thomas) onde comentam sobre os relacionamentos de seus personagem e a falta de romance nos livros e no filme.

Dylan O’Brien: Kaya e eu sempre amamos a falta de romance em nossa storyline. É tudo tão realístico e apropriado para as circunstancias. É tão cinematográfica para adicionar uma relação, mas vamos parar e pensar por minuto. Essas crianças não estariam flertando ou beijando.

Kaya Scodelario: Não há tempo. Gosto da honestidade disso. Como mulher foi tao legal saber que eu era capaz de entrar nisso e saber que eu não iria atuar desse jeito. Isso é parte de ser adolescente – se apaixonar pela primeira vez – mas sinto como se eu ja tivesse explorado muito isso. Foi interessante para mim explorar uma jovem que é colocada em uma situação em que ela não precisa  fazer amigos. Ela não precisa que todos gostem dela. É puramente uma questão de sobrevivência, e isso é tão valente e tão contra o que vemos de novo hoje em dia quando se trata de personagens femininos em filmes. Como eu disse, eles não tinham tempo para dar um passeio na floresta.

De qualquer maneira existiam cenas “românticas” no script original que até foram gravadas, mas que acabaram sendo excluídas do filme. Kaya Scodelario disse que gravar essas cenas foi “estranho“.

Dylan O’Brien: Talvez essas cenas vão acabar no DVD, eu espero que não. Só não era apropriado pra esse filme.

Thomas Sangster: Você não precisa disso. Tem amor e emoção de mais em volta dos Clareanos, Não é todo adolescente que fica assim o tempo todo. Eu certamente nunca me apaixonei como um adolescente – Eu nunca tive uma namorada quando era adolescente. Eu acho que você não tem que por isso em todo filme.

Ki Hong Lee: (em resposta sobre o que ele acha que os adolescentes vão tirar do filme Maze Runner que eles não vão encontrar em outros filmes distópicos.) O diferente do nosso filme é que somos um grupo de meninos, e uma garota, que se ajudam para sair do labirinto juntos. Nós estamos presos nessa sociedade distópica onde nós poderíamos facilmente matar e comer uns aos outros. É uma historia de um grupo de pessoas que estão presas em uma situação, assim como nós estamos presos nesse mundo. Espero que eles tirem o fato de que nós temos trabalhado juntos, unidos. Nós temos nossas diferenças, óbvio, cada um de nós tem seus pontos fracos e fortes – nós temos corredores, temos construtores – e se nos unisse e trabalhasse juntos, isso iria funcionar.

The Maze Runner estreou mundialmente nesta ultima sexta-feira e já arrebatou milhões ao redor do mundo. Sua sequencia The Scorch Trials (The Maze Runner: Prova de Fogo) já foi confirmada e também já tem data de estreia definida, confira o post aqui.

 




Ontem foi divulgado novas imagens do filme, algumas já vistas no Guia da Clareira, e fotos dos bastidores. Confiram abaixo:

thumb_BtWFMS8CIAAeSl8 thumb_BtWYX3DCUAAOxsa thumb_BtV-W9nCEAAASOI thumb_BtWYX3DCUAAOxsa thumb_BtV-W9nCEAAASOI
FILMES | MOVIES > THE MAZE RUNNER – CORRER OU MORRER > STILLS

thumb_BtWFMS8CIAAeSl8 thumb_BtWYX3DCUAAOxsa thumb_BtV-W9nCEAAASOI thumb_BtWYX3DCUAAOxsa thumb_BtV-W9nCEAAASOI
FILMES | MOVIES > THE MAZE RUNNER – CORRER OU MORRER > BASTIDORES
Fonte: VK | themazerunner




Uma parte do elenco de Maze Runner: Correr ou Morrer deu uma entrevista para o site Mommy Musings, dentre eles Dylan O’Brien (Thomas), Kaya Scodelario (Teresa), Will Poulter (Gally), Thomas Sangster (Newt) e Ki Hong Lee (Minho). Na entrevista eles comentaram um pouco sobre os fãs, seus personagens e sobre o livro.

Essa saga tem uma “fã base” muito apaixonada. Quais experiências com os fãs fizeram vocês notarem isso?

Dylan O’Brien: Eu acho que uma das coisas mais legais que aconteceram foi quando estivemos em Baton Rouge… estávamos no meio do nada. Nós fomos postos em um hotel, e dois fãs descobriram que estávamos no hotel e descobriram um jeito e tiraram fotos conosco na primeira noite… E todos nós ficamos muito chocados. Nós somos tipo o que? Vocês são fãs do filme que ainda nem lançamos? Eu acho foi a primeira vez pra mim, que a força de uma “fa base” (ou fandom) nos alcançou. E eu já tinha visto um pouco disso antes.

Will Poulter:  Através do twitter, todos nós já tivemos experiências incríveis com os fãs. E logo depois que anunciaram nosso envolvimento, pessoas nos seguiram dizendo Oh! Estou tão feliz por você estar fazendo o Newt, Estou tão feliz por você estar fazendo a Teresa. E eles são um tipo de fã positivo.

Kaya Scodelario: Sim, eles são.

Will Poulter: A relação que o Dashner (James, Autor) tem com os leitores tem um tipo de [translated?]. Acho que os “fãs dos livros” se transformaram em um tipo de “fãs do filme” de uma certa forma. Eles estão muito animados sobre como nós lidamos com o material dele, porque obviamente eles sentem um senso de prioridade sobre ele. E esse é o grande desafio de quando você adapta um livro pro filme. Nós realmente queríamos fazer isso da forma certa. E eu espero que tenhamos feito isso.

Ki Hong Lee: Não importa o que nós twittamos. É sempre assim, Oh! Eu não posso esperar por Maze Runner. É impressionante!

Eu tenho uma pergunta para o Will. Em seus filmes anteriores, você usava a palavra “idiota”.  Foi legal ser um bad-ass nesse filme?

Will Poulter: Claro, cara. Você sabe eu sou muito grato pelo que o Wes (diretor) fez em me levar a isso. Eu acho que não foi a melhor escolha para o cast. E felizmente isso caiu bem. Mas eu realmente gostei da oportunidade de fazer um papel diferente de tudo o que eu já tinha feito. E eu adoro fazer comédia e drama. O que eu quero dizer é que com todos esses caras, o cast inteiro, eu me sinto tão privilegiado por trabalhar com eles porque é o grupo de atores mais versátil que eu já presenciei.

Quais elementos dos seus personagens que vocês queriam trazer do livro para o filme?

Dylan O’Brien: Você só quer trazer tudo o que consegue das caracteristicas do livro pro filme. Você sabe que para mim, eu venho dizendo isso como eu me sinto como se fosse muito a ver com apenas a parte muito fiel da perspectiva. Eu sempre olho pro Thomas como muito honesto e heróico e apenas um personagem verdadeiro, especialmente um ser, que de alguma forma, renasce a partir do momento em que encontramos ele nos filmes e nos livros. Ele é o novo Greenie (fedelho). Ele é tipo o que acaba de perder suas memórias e apenas está reconstruindo-a de uma forma como um cara normal.

Will Poulter: Eu acho que em geral, esse foi um dos papeis mais fáceis para muitos de nós porque obviamente os nossos personagens não têm muita memória do passado. Então, não há realmente um fundo. A outra coisa é que obviamente, você tem o livro para contar. É como um recurso surpreendente para os pesquisadores ali mesmo nas centenas de páginas que o James Dashner (autor) escreveu.

Em qualquer filme baseado em um livro, algumas cenas ficam de lado. Quais foram as cenas que vocês deixaram de fora enquanto filmavam?

Dylan O’Brien: Eu acho que o ferrão dos Verdugos é algo que eu sempre pensei que era legal no livro e até bom para pôr no filme, mas por algum motivo, foi tirado no corte final.

Kaya Scodelario: Eu gostei da grande introdução do livro, como ele vai para cada personagem individualmente apresentando-os e seus respectivos trabalhos. E obviamente, nós não tivemos tempo para fazer isso.

Dylan O’Brien: Wes (diretor) na verdade me disse que a introdução completa da Clareira estaria no DVD

 




Isso mesmo! Ontem foi lançado o jogo baseado em “Maze Runner” no estilo do famoso “Temple Run”. E o aplicativo é totalmente grátis! Ele foi lançado primeiramente para iPhone iPad e já está disponível para Android e iPod Touch. Abaixo um pouco sobre ele:

Desbloqueie o mistério do Labirinto e corra para sobreviver no jogo oficial de The Maze Runner! Junte-se à comunidade de Clareanos presos no centro de um Labirinto mortal em constante mudança. Corra por sua vida, driblando pedras caindo, abismos, e aquedutos! Recolha pistas para desbloquear o Labirinto e completar novos níveis. Escolha o seu corredor de velocidade e resistência, e corra contra o relógio para escapar antes que as portas do Labirinto fechem! Entre no mundo de The Maze Runner, o novo filme baseado no romance best-seller!

Características:

· Controles intuitivos de toque e inclinação para CORRER, SALTAR e DESLIZAR até a segurança!

· Jogue como o seu corredor favorito do filme The Maze Runner!

· EXPLORE o Labirinto, COLETE as pistas ocultas e desbloqueie novos NÍVEIS!

· CORRA contra o relógio e chegue em segurança antes que as portas do Labirinto fechem!

· RECOMPENSAS e Presentes Diários para os fãs leais!

vbVfjl9hiLU AzNOqwAOKAM M_lZ4czEqk0 tsFNPYpzp8s